quinta-feira, janeiro 14, 2010

Afinal, enganei-me

Pronto, passou uma semana após o acordo entre professores e Governo. Uma semana parece-me tempo mais que suficiente para que tudo o que se disse durante todo o processo seja pesado e avaliado. De todos os ataques miseráveis aos sindicatos e sindicalistas, com o endeusamento de uma ministra que nem o PS quis, como se viu, recordo-me de alguém que se fartou de malhar nos sindicatos e no Mário Nogueira.
O director da TSF, Paulo Baldaia, caiu no ridículo de ser mais socratista que Sócrates e, depois do que disse na rádio que dirige, na Sic Notícias, na RTPN e no JN, esqueceu-se de tudo como se nada tivesse dito. O artigo de opinião "Nogueira com sabor a eucalipto", publicado no auge da luta dos professores - que desapareceu, por mistério, do site do JN -, não era mais que um ataque pessoal ao secretário-geral da FENPROF.
O acordo da passada semana provou que, afinal, o defeito não estava nos sindicalistas, mas sim na intransigência de uma ministra sem as mínimas condições para estar na política, muito menos num Governo - mas que lá arranjou um job foir the girl na Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Provou ainda que vale sempre a pena lutar, quando a luta é justa.
Voltando ao que interessa; como o acordo foi conseguido há uma semana e o director da TSF escreve aos sábados no JN, achei que o assunto do texto, seria, obviamente, sobre uma matéria que defendeu com tanto afinco. Assim, quando abri o jornal, no sábado, e li o título desta crónica, "Afinal, enganei-me", fiquei contente. Nem tudo estaria perdido.
Mas sou um ingénuo. Admito-o sem problemas. Afinal, eu também me enganei sobre o engano do Paulo Baldaia. E o assunto fica assim encerrado, como ficam muitos outros. Não sei se será defeito dos tempos em que vivemos. É, de certeza, defeito das pessoas que temos.

6 comentários:

JOSÉ MODESTO disse...

Pergunta:
Como perguntar não ofende, e sendo eu um Matosinhense gostaria de saber o seguinte:

Há já algumas semanas ou até um mês foi eleita a nova Direcção da Junta Metropolitana do Porto, competência que pertence,nos termos da lei aos Presidentes das Câmaras Municipais que integram a Área Metropolitana do Porto.
Desde a criação da Área Metropolitana do Porto, já lá vão quase duas décadas, e com vários Presidentes da Junta, quer do PSD quer do PS, Matosinhos teve sempre direito a ocupar uma das duas Vice-Presidências da Junta Metropolitana.
Infelizmente, e pela primeira vez na história da Área Metropolitana do Porto, Matosinhos deixou de exercer a Vice-Presidência...PORQUÊ?

Saudações Marítimas
José Modesto

JOSÉ MODESTO disse...

Nota positiva para a CMM:

Fruta Gratuita para 7700 crianças.
A CMM no decorrer deste ano lectivo, vai implementar
O Regime de Fruta Escolar em todas as escolas do 1º.ciclo
E jardins-de-infância, que abrangem 7700 crianças.
Vão ser distribuídos, duas vezes por semana, fruta e
Produtos hortícolas de forma gratuita.
Fonte: Destak – 18-01-2010

Uma atitude Positiva e digna de
ser mencionada.

Saudações Marítimas
José Modesto

JOSÉ MODESTO disse...

O ÓBVIO...

Sabendo que o novo Terminal de Cruzeiros de Leixões é já uma realidade, porque
não a passagem do Metro nas imediações!!!

Saudações Marítimas
José Modesto

Miguel Jeri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel Jeri disse...

Atenção que o link para o engano que não era engano é este: http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?content_id=1465336&opiniao=Paulo%20Baldaia

E podes ver o "Nogueira com sabor a eucalipto, essa glória do jornalismo português, como lhe chamaria o Vítor Dias, aqui:

http://ocantinhodaeducacao.blogspot.com/2009/01/nogueira-com-sabor-eucalipto.html

De facto inclui cinco parágrafos inteirinhos dedicados ao Mário Nogueira. Mas o homem é um espetáculo, conheço até professores militantes do BE autênticos fãs dele. E já vi gente da direita admitir que diga-se o que se disser, é um bom sindicalista e mantém um bom contacto com as bases.

Abraço e boas postas

JOSÉ MODESTO disse...

O Estudo de Impacto Ambiental da Linha do Campo Alegre prevê uma solução enterrada em Matosinhos - Sul. Porém, vai mais longe e aponta a transformação de toda
a Rua de Brito Capelo em zona pedonal.

Não seria importante ouvir os Matosinhenses sobre esta matéria?
Uma discussão pública aberta a todos?

Saudações Marítimas
José Modesto