quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Ascensão e queda de Beatriz

Beatriz Talegón tornou-se viral na internet com o vídeo abaixo e fez feliz uma série de gente. Uma série de verdades ditas por alguém do PSOE que deviam fazer corar de vergonha qualquer partido que tenha estado na reunião da Internacional "socialista".

Confesso que o que mais me fez pensar no discurso de Beatriz foi o que leva alguém a estar num partido que pratica o contrário do que um militante defende. Entendamos: há sempre espaço para divergências dentro dos partidos. Há no qual milito e, creio, haverá também nos outros. Mas há questões de fundo, de princípio de que não abdico. E, como tal, não percebo a Beatriz. Como poderia eu estar, por exemplo, num partido que defende na opinião pública o aumento do salário mínimo mas que, no Parlamento, na casa da Democracia, rejeita duas propostas nesse sentido, considerando-as demagogas e populistas?


Falo agora directamente para a Beatriz, que é quase da minha idade e fala como se fosse minha camarada - e ela não há-de importar-se, que não me lerá. Não podemos defender o que não praticamos. Podemos. Afinal podemos. Mas isso é o PSOE, como cá é o PS. E se a tua prática não vai além das palavras - do que agora se chama, pomposamente, soundbites - então, estás no lugar certo.

Já sabemos que estiveste no Parlamento Europeu, onde ganhavas 3.000 euros por mês, se dividirmos o teu salário global por 14 meses. E bem. Todos pudessem ganhar o mesmo. Mas eras funcionária do PSOE e, daqui, podemos tirar duas confusões: uma, demonstraste uma coragem notável ao afrontar assim o teu patrão. Outra, foste na onda dos soundbites e criaste um fait-diver. Daqueles para enganar, dos que faz um partido parecer aquilo que não é aos olhos dos mais incautos. E dos que dão mau nome aos partidos, daqueles existem para servir e não para servir-se

Uma espécie daquilo que em Portugal se chama "a ala esquerda" do PS, como se fosse possível um partido verdadeiramente socialista não ser todo ele de esquerda. A partir do momento em que não é, deixa de ser socialista e passa a ser perpetuador de tudo aquilo que criticaste - e bem - a partir de um hotel de 5 estrelas em Cascais.

Há outra Beatriz nesta história. A minha. Tem seis anos e há-de ser o que quiser. Mas procurarei sempre fazer com que seja fiel a ela própria. E que seja verdadeira, genuína, que assuma os erros e virtudes que há-de cometer e ter. Que não tenha duas caras. Que seja sempre frontal e directa, mesmo quando a necessidade é maior do que a moral.

De acordo com o teu ex-colega no PSOE, Julián Jiménez, não o foste e ele explica os motivos que o levam a tecer a carta aberta publicada no La Republica. Eu não sei se, como ele, terás percebido e assumido os erros que cometeste e vais ser consequente com o que defendeste nos 10 minutos da tua intervenção.

"Pero cuando hacemos que nos hemos equivocado de “boquilla” pero no en nuestros actos, corremos el riesgo de aparentar lo que no somos. Por ello no creo tus palabras. Porque si fueran sinceras ¿Por qué no te has ido del PSOE?¿Donde dormiste tú cuando criticabas el hotel de lujo en el que os reuníais los “socialistas del mundo mundial”? ¿Dónde está tu carta de renuncia de tus responsabilidades? ¿Donde esa carta para unirte sinceramente posteriormente a quienes llevan años en la calle protestando?"

O que te pede o teu ex-colega é apenas que sejas consequente. Que, como dizes no texto, deixes o hotel de 5 estrelas e te juntes à rua com os cidadadãos que sofrem, no teu país como no meu, com as políticas levadas a cabo pelo teu partido e pelo seu partido-irmão, aqui em Portugal. Estamos sempre a tempo de mudar. Eu serei o primeiro a fazê-lo se o meu Partido deixar de ser aquilo que é.

4 comentários:

Viejo Topo disse...

Gostei muito do seu post. Parabens. Cumprimentos dende a Galiza e dende o blogdelviejotopo
Co seu permisso, vou engadir o seu artigo nas citações do meu artigo no nosso blog, em relação com assunto de Beatriz Talegón.
Desculpas polo meu pessimo portugues.
Saudaçes
Vigne
http://blogdelviejotopo.blogspot.com.es/

rms disse...

Um abraço!

Viejo Topo disse...

Acho que pode interesar. Excelente artigo do professor Navarro hoje em diario Público. Título: "Lo que Beatriz Talegón no dijo y debería haber dicho".
Na minha opinião um magnísifco artigo. O Professor Navarro faz alusão à IS em relação com o neoliberalismo.
Saudações e um abraço para os amigos de umtaldeblog
O link do artigo do prof. Navarro: http://blogs.publico.es/vicenc-navarro/2013/02/19/lo-que-beatriz-talegon-no-dijo-y-deberia-haber-dicho/

rms disse...

Vou ler, obrigado mais uma vez!